Feeds:
Artigos
Comentários

Archive for Junho, 2007

Actualmente as competências dos enfermeiros, relativamente à prevenção de acidentes na Infância e Adolescência, num centro de saúde baseiam-se essencialmente:

– Na identificação e reconhecimento do tipo de acidentes que podem ocorrer nos diferentes grupos etários da Infância/Adolescência;

– Compreender qual a especificidade da intervenção do enfermeiro a nível da prevenção comunitária perante o risco de acidentes em crianças e jovens;

– Sensibilização da comunidade para a importância da prevenção de acidentes em crianças e jovens.

Este trabalho é realizado pelos enfermeiros e médicos através de sessões de educação para a saúde (formações) direccionada às mães ou pais, na prevenção de acidentes tanto domésticos como rodoviários. A maioria dos acidentes poderiam ser evitados pelos adultos!

Os pais têm que estar alertados para o facto que os acidentes podem ter consequências, tais como traumatismos, ferimentos e lesões.

Essas consequências podem originar:

– incapacidade permanente da criança/do jovem;

– idas aos serviços de Urgência;

– idas a consultas de saúde infanto/juvenil;

– Dor e sofrimento na criança/jovem;

– e podem ser a principal causa de morte!

As crianças mais susceptíveis de sofrer um acidente têm sido os lactentes (menos de 1 ano).Esta é uma fase em que a criança se desenvolve muito rápidamente e as mães e pais têm que estar conscientes que elas vivem num mundo construído para os adultos com todos os riscos que esse facto representa para elas!

Com essa finalidade torna-se essencial prevenir acidentes que envolvam essas crianças. Os acidentes mais frequentes nesta faixa etária são: asfixia, sobreaquecimento, queimaduras, quedas, intoxicações e acidentes de transporte.

Como prevenir asfixia (situação manifestada por falta de ar, cianose, convulsões, contracções musculares e desmaios), que pode ser provocada por inalação de gases, enforcamento, sufocamento, ingestão de objecto estranho ou afogamento?

Alguns conselhos para as mães:

– O lactente deve estar deitado para o lado esquerdo/direito ou de costas com uma elevação de 30º (para evitar aspiração de vómito, porque ao vomitar a criança pode aspirar o próprio vómito);

– A roupa da cama não deve cobrir a cabeça do lactente (pode sufocar);

– Não colocar almofadas, fraldas, brinquedos dentro da cama;

– Não deixar o lactente sozinho com o biberão no berço ou cama (pode também provovar aspiração de vómito);

Não usar corrente da chupeta e, se usar, retirar quando o for deitar;

– Evitar o uso de alcofas e se tiver mesmo que usar escolher uma que seja de estrutura rígida, para não se virar por cima do lactente.

Nos cuidados de higiene: Cuidados a ter com com o banho

  • Nunca deixar o lactente sózinho na banheira, seja qual for a circunstância. Mesmo com água rasa é perigoso. Uns segundos bastam para que se afogue e pode afogar-se numa reduzida quantidade de água (cerca de 10 cm);

Como prevenir sobreaquecimento?

– Não se deve aquecer demasiado o lactente!

– Adequar a temperatura da cama, a roupa do lactente e da cama à estação do ano e ao lugar que habita;

– Colocar o dorso da mão na nuca ou na barriga do lactente para avaliar facilmente se o mesmo está muito aquecido;

– Se o lactente tem febre precisa de menos roupa e não de ser agasalhado.

 

Read Full Post »